abril 28, 2013

..... NAHUD GANHA TROFÉU CULTURA DE MELHOR LIVRO DO ANO


O jornalista Toinho Silveira entregou na noite de quarta-feira (24 de abril), na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, o TROFÉU CULTURA a personalidades e artistas que se destacaram no cenário cultural potiguar, seja pelo trabalho que desenvolvem ou pelo apoio a cultura local. Através de uma consulta a jornalistas culturais e críticos de artes, o prêmio agracia talentos afinados com a produção da arte e da cultura potiguar, ao mesmo tempo em que se propõe a divulgar a diversidade cultural e artística do Rio Grande do Norte.

Criado em 2003, o TROFÉU CULTURA chega em 2013 a sua 10ª edição. Este ano, o evento premiou 28 artistas. Entre eles, o escritor baiano ANTONIO NAHUD, residente em Natal, que levou o prêmio de MELHOR LIVRO com PEQUENAS HISTÓRIAS DO DELÍRIO PECULIAR HUMANO. Nahud concorreu com “Pra Que Te Quero”, de Salizete Freire Soares (Edições Paulinas); “Atestado De Órbita", de Carlos Estevam Cavalcanti (Jovens Escribas); “Cidade Dos Reis", de Carlão de Souza (Fundação José Augusto); “Maldito Sertão", de Márcio Benjamim (Jovens Escribas) e “Paraíso Perdido", de Cláudia Magalhães (Jovens Escribas).

franklin jorge e nahud

Com prefácio de Jorge de Souza Araújo, poeta e professor de Literatura Brasileira e Literatura Comparada na Universidade Federal da Bahia (UFBA), e apresentação de Ruy do Carmo Póvoas, escritor e ex-professor titular de Língua Portuguesa da Universidade de Santa Cruz (UESC), e Danielle Carvalho Crepaldi, doutorada em Teoria Literária pela UNICAMP, PEQUENAS HISTÓRIAS DO DELÍRIO PECULIAR HUMANO reúne 64 histórias curtas escritas nos últimos 10 anos e publicadas em revistas, jornais, sites e blogues. Nem por isso, contudo, são menos significativas no conjunto de sua obra. Nelas, o leitor encontrará a sagacidade, a argúcia, o fascínio, a emoção autêntica, a fábula e a luminosidade que caracterizam o estilo “lúcido alucinado” de Nahud, com personagens sempre prontos a correrem riscos irracionais em busca da crença romântica da plena realização das possibilidades de suas vidas enfadonhas – seja em Portugal, Espanha, Marrocos ou Brasil.

toinho silveira


OS VENCEDORES

CATEGORIA TEATRO

MELHOR ESPETÁCULO ADULTO
“RETRATO DO ARTISTA QUANDO COISA”
Grupo: Bololô Cia. Cênica
Direção de Luna Lunera

MELHOR ESPETÁCULO INFANTIL
"EM CADA CANTO UM CONTO"
Grupo Estação de Teatro
Direção de Rogério Ferraz

MELHOR DIRETOR
HENRIQUE FONTES
(“Flúvio e o Mar”)

MELHOR ATRIZ
QUITÉRIA KELLY
(“Pobres de Marré”)

MELHOR ATOR
DUDU GALVAO
(“Sua Incelênça, Ricardo III”)

MELHOR CENOGRAFIA / FIGURINO
JOÃO MARCELINO
(“Em Casa Canto Um Conto”)

CATEGORIA MÚSICA

MELHOR SHOW
“ÓPERA ROCK”
de Hilkélia
“CAMILA MASISO E ORQUESTRA DA UFRN”

MELHOR CANTOR
ISAQUE GALVÃO

MELHOR CANTORA
LIZ ROSA
KHRYSTAL

MELHOR BANDA
DUSOUTO

MELHOR INSTRUMENTISTA
EDUARDO TAUFIC

MELHOR COMPOSITOR
LUIZ GADELHA

MELHOR MÚSICA
"ZONA NORTE, ZONA SUL"
(de Ricardo Baya)

REVELAÇÃO MUSICAL
ANDRÓIDE SEM PAR

CATEGORIA DANÇA

MELHOR ESPETÁCULO DE DANÇA
“PROIBIDO ELEFANTES"

MELHOR CIA. DE DANÇA
GIRADANÇA

MELHOR BAILARINO
DIOGO GONÇALVES

MELHOR BAILARINA
NATÁLIA NEGREIROS

CATEGORIA ARTES VISUAIS

MELHOR EXPOSIÇÃO
“A FACE OCULTA"
(de Morvan França)

MELHOR ESCULTOR
JORDÃO

MELHOR PINTOR
DEMETRIUS MONTENEGRO

MELHOR FOTÓGRAFO
NEY DOUGLAS
CANINDÉ SOARES

MELHOR GRAFFITI
SINHÁ

MELHOR CARTUNISTA
IVAN CABRAL

MELHOR AUDIOVISUAL
“CAIS DO SERTÃO"
(de Paulo Laguardia)

CATEGORIA LITERATURA

MELHOR LIVRO
“PEQUENAS HISTÓRIAS DO DELÍRIO PECULIAR HUMANO"
de Antonio Nahud

ARTISTA DO ANO
TITINA MEDEIROS (atriz)

PRODUTOR DO ANO
MARCELO VENI

dudu galvão e nahud

nahud, luciana oliveira e morvan frança