janeiro 22, 2012

.......................................................... VALEI-ME SÃO SEBASTIÃO!

são sebastião
Segundo o pintor Iaperi Araújo, sua exposição “é um documentário de fé e de estética”. Em exibição na Galeria Newton Navarro (Fundação José Augusto, Natal), a mostra “Valei-me, São Sebastião” homenageia o santinho de túnica vermelha. Fazendo parte do projeto “Público é Privado”, a maioria dos trabalhos é da coleção particular do artista. Telas preciosas de Jomar Jackson, Leopoldo Nelson e do próprio Iaperi, entre outros. Padroeiro da igreja católica e protetor dos povos contra as grandes catástrofes, São Sebastião foi  tema de várias expressões artísticas, destacando-se na Renascença, de Sandro Boticelli a Ticiano, de Perugino a El Greco. 

Na literatura, teve sua trajetória contada em Perseguidores e Mártires, do escritor italiano Tito Casini, e foi um dos personagens centrais do romance Fabíola" (também intitulado A Igreja das Catacumbas), escrito em 1854 pelo Cardeal Nicholas Wiseman. Essa obra foi filmada por Alessandro Blasetti em 1949, na França, estrelando Michèle Morgan, e com o ator italiano Massimo Girotti no papel de São Sebastião. Refilmado por Nunzio Malasomma, em 1961, na Itália, como A Revolta dos Escravos / La Rivolta degli Schiavi”, protagonizado pela estrela hollywoodiana Rhonda Fleming e com o romano Ettore Manni como o santo mártir. Em 1976, o diretor britânico Derek Jarman lançou “Sebastiane”, que causou polêmica em seu tratamento do mártir como um ícone homossexual. No entanto, como vários críticos têm notado, este tem sido um subtexto da imagem desde o Renascimento. Em seu romance “Morte em Veneza”, o alemão Thomas Mann elogia a figura do santo como o símbolo supremo da beleza apolínea, ou seja, a arte de formas diferenciadas, a beleza medida pela disciplina, proporção e distinções luminosas.

"são sebastião" (1993) por jomar jackson
Nas tradições afro-brasileiras, Oxossi é sincretizado como São Sebastião. Grande Orixá das florestas, das relações entre o reino animal / vegetal e caçador ágil, comumente é representado caçando com arco e flecha. Originário de Narbonne e cidadão de Milão, São Sebastião (França, 256 d.C. – 286 d.C.) morreu durante a perseguição levada a cabo pelo imperador romano Diocleciano. O seu nome deriva do grego sebastós, que significa divino, venerável (que seguia a beatitude). De acordo com os “Actos Apócrifos”, atribuídos a Santo Ambrósio de Milão, Sebastião se alistou no exército romano por volta de 283 d.C.. Queridinho do imperador Dioclecian, que o queria sempre próximo, ignorando tratar-se de um cristão e, por isso, o designou capitão da sua guarda pessoal, a Pretoriana. Por volta de 286, a sua conduta branda para com os prisioneiros cristãos levou o imperador a julgá-lo sumariamente como traidor, tendo ordenado a sua execução por meio de flechas (que se tornaram símbolo na sua iconografia).

"são sebastião" por leopoldo nelson
Dado como morto e atirado no rio, não havia falecido. Encontrado e socorrido pela futura Santa Irene, apresentou-se novamente diante de Diocleciano, que ordenou então que ele fosse espancado até a morte. Seu corpo foi jogado no esgoto público de Roma. Luciana (depois Santa) resgatou seu corpo, limpou-o e o sepultou nas catacumbas. Mas existem inconsistências no relato de sua vida: o edito que autorizava a perseguição sistemática dos cristãos pelo Império foi publicado apenas em 303 (depois da Era Comum), pelo que a data tradicional do martírio de São Sebastião parece precoce. O simbolismo na História, como no caso de Jonas, Noé e também de São Sebastião, é visto, pelas lideranças cristãs atuais, como alegoria, mito, fragmento de estórias, uma construção histórica que atravessou séculos. No dia 20 de janeiro de 2000, festa do mártir, o Grupo Gay da Bahia (GGB) divulgou documento proclamando São Sebastião como o patrono dos gays e elegendo o Mosteiro de São Sebastião dos Beneditinos da Bahia como o Santuário Homossexual do Brasil. Segundo Luiz Mott, professor de Antropologia na Universidade Federal da Bahia, desde a Idade Média que os homossexuais veneram o santo flechado como protetor da categoria. Oscar Wilde e Garcia Lorca, ambos homossexuais, eram devotos e chegaram a fazer esboço da pintura deste santo. Suas gravuras e imagens sempre o mostram seminu e com pose e expressão bastante delicada, o que reforçou ao longo dos séculos a identificação como ícone gay.

"são sebastião"
por iaperi araújo
Exposição
“Valei-me São Sebastião!” 
(Obras da coleção particular de Iaperi Araújo)

Local
Galeria de Arte Newton Navarro, Fundação José Augusto – 
Natal, Rio Grande do Norte.

Data
de 21 a 31 de Janeiro, das 8h às 17h.

Nota: *** (bom)

iaperi araújo e antonio nahud
Foto de Morvan


5 comentários:

CIVONE MEDEIROS disse...

... Valei-me, CINZAS & DIAMANTES ~ panorama turbulento e arrebatador do pensamento artístico... Parabéns Antonio! Cada vez mais precioso este espaço de memória e cultura! AVANTE(s)!

Neuzamaria disse...

Nahud, querido.

Você é irreverentemente fantástico!
Não pelo fato em si, mas na sua forma de dizer. É como se você estivesse me contando as histórias, lembra?
Parabéns por tudo.

Como posso não amar você?

Ligéia disse...

Gostei demais!

Abraço pra você.

Renart Souza disse...

Bravo ragazzo!
Opera stupenda.
Avanti com manifestações do gênero.
de renart

Gideon Rosa disse...

Parabéns, você é demais, um desbravador! Beijos e sucesso. Gideon