dezembro 05, 2011

................................................... DEU GULLAR NO JABUTI

ferreira gullar
O Prêmio Jabuti funciona como vitrine para o fortalecimento do setor editorial brasileiro. Na sua mais recente edição, a 53ª, em cerimônia realizada em São Paulo e promovida pela Câmara Brasileira do Livro (CBL), o poeta maranhense FERREIRA GULLAR e o jornalista paranaense Laurentino Gomes receberam as principais condecorações. A obra “Em Alguma Parte Alguma”, de Gullar, sagrou-se como Livro do Ano Ficção, enquanto “1822”, de Laurentino, foi o grande vencedor da categoria Livro do Ano Não Ficção. O autor do Livro do Ano Ficção foi escolhido entre as obras premiadas nas categorias “Romance”, “Contos e Crônicas”, “Poesia”, “Infantil” e “Juvenil”. Durante a cerimônia, os vencedores das 29 categorias que compõem o prêmio, assim como os segundos e terceiros colocados em cada uma delas, também receberam suas estatuetas. Laurentino foi o primeiro a falar, e agradeceu aos colegas empenhados na elaboração de narrativas históricas: “É com senso de missão de contribuir para a educação e para a transmissão de conhecimento que recebo esse prêmio. Nesse ambiente de construção de conhecimento, a história é chamada para essa missão. Faço uma homenagem a todos os historiadores brasileiros, que são a fonte em que bebo”, disse. Gullar optou por uma fala breve, mas repleta de significado: “Não sei se poesia é literatura. Mas a gente faz poesia porque a vida não basta.” Além de poeta, Gullar é crítico de arte, biógrafo, tradutor, memorialista, ensaísta e um dos fundadores do neoconcretismo. Autor dos clássicos “Dentro da Noite Veloz” (1975) e “Poema Sujo” (1976), recebeu o prestigiado Prêmio Camões , em 2010, e um primeiro Jabuti em 2007, por “Resmungos”, considerado também o Melhor Livro do Ano Ficção.  Aos 81 anos, merece o Prêmio Nobel. Veja a lista dos principais vencedores:

Livro do Ano Ficção
“EM ALGUMA PARTE ALGUMA”
Autor: FERREIRA GULLAR
(José Olympio)

Livro do Ano Não Ficção
“1822”
Autor: LAURENTINO GOMES
(Nova Fronteira)

Categoria Teoria e Crítica Literária
CÂMARA CASCUDO E MÁRIO DE ANDRADE – CARTAS, 1924-1944”
Organizador: MARCOS ANTONIO DE MORAES
(Editora Global)

Categoria Artes
“OS SATYROS”
Autor: GERMANO PEREIRA
(Editora Imprensa Oficial)

Categoria Tradução
“O LIVRO DE DEDE KORKUT”
Tradutor: MARCO SYRAYAMA DE PINTO
(Editora Globo)

Categoria Ilustração
“O CORVO”
Ilustrador: MANU MALTEZ
(Editora Scipione)

Categoria Infantil
“OBAX”
Autor: ANDRÉ NEVES
(Brinque-Book)

4 comentários:

Fabrício Brandão disse...

Parabéns pelo retorno do Cinzas e Diamantes, mau caro! É como sempre digo: realizar é preciso.

Devidamente linkado lá na DA.

Abraços,

Fabrício

Ediney Santana disse...

O Jabuti é como o carnaval da Bahia um ano antes já sabemos quem vai vencer porque sempre são os mesmo de sempre os vencedores

Iolanda Costa disse...

Tão bom acompanhar e saber do seu interesse eterno nessas coisas da arte, Antônio! Lembrei-me, esses dias, das suas primeiras colunas sobre literatura, no Jornal Agora, década de 80, não era?

RENART SOUSA disse...

Caro Junior
Bravo!
...e avanti.
Alías, de você, só fecundam pertinências.
Aquele abraço,
renart